A Pedra Filosofal

Pedra Fiosofal

A Essência da Vida, O Elixir da Longa Vida,
Da Vida Eterna, A Pedra Filosofal dos Alquimistas

O Amor

O amor volátil é uma sabia decisão que não leva a lugar algum; se você o pensar verá que é assim.

Nos tempos antigos, antes da separação, tudo eram nevoas e escuridão; mas o Amor se fez, e isso mudou tudo.

Nunca mais os seres estiveram sozinhos, nem em eterna desolação como o tinham estado antes, nunca mais ninguém pode dizer que a Luz é ruim, pois que ela os elevou, e os levou a transcender a sua própria condição de seres completos porém imperfeitos.

Hoje, os seres esqueceram o tempo da solidão e da desolação, e afastam-se uns dos outros, para procurá-los mais tarde, além das fronteiras de suas próprias terras.

Isto acontece pelo esquecimento do que são suas essências, pois o único remédio contra a solidão que se adona da vida de todos, é a lembrança dos seres essenciais que são.

São dois, porém estão separados, são um porém estão divididos; e ninguém quer a felicidade de ser no outro, com o outro, consigo mesmo novamente, porque isto significa abandonar as nevoas inconscientes nas quais submergiram-se, esquecendo-se que a Luz e o Amor são Um só

Uma relação profunda

Paixão pela Vida

Esta é a triste historia de procurar-se e não encontrar-se, porque somente nos encontramos na vida compartida e partida com o outro; somente somos nós, quando nos abandonamos ao ser dividido que se une e se duplica no sentir, no amar, no deixar-se levar da mão aos picos mais elevados, e aos abismos mais profundos que uma relação implica.

Mas o medo, sempre o medo de ser dois, de ser três e multiplicar-se nas ondas suaves e serenas do Amor, da Paixão pela Vida, da paixão pelo outro, impede que se possa dizer: Nós!

Os Antigos

Os antigos o sabiam e ainda assim caíram na “vorágine” dos acontecimentos, e foram destruídos, pela simples decisão de não ser no outro.

Suas pegadas e suas palavras sobreviveram, como mudas testemunhas do que novamente se repetirá, e o fará por que você não quer saber, não quer ouvir, nem ler, nem aprender que a sua salvação e a de todos, encontra-se no Reino: o coração desse outro ser, que semelhante a você, também procura aceitação, admiração… e Amor.
Pode ser seu filh@, seu companheir@, seu amig@, seu irm@, ou qualquer outro ser humano ao seu redor.

Mas todos decidiram que o amor é uma escolha, e que não é possível amar ao filh@, ao irm@, ao companheir@, ou a qualquer outro ser que no seja “meu”.
O possuir, tudo o querem possuir, tudo o querem dominar, inclusive desejam possuir e dominar o Amor, sem entender que Ele tem Asas de Luz, e não tolera aqueles que querem aprisioná-lo para si mesmos.

Reino: O Coração do Outro

Esta é a triste historia dos seres que tudo tem, mas que nada compreendem, e que caminham rumo a sua destruição, tão displicentemente, como se fossem donos absolutos de uma grande verdade; verdade que tão habilmente construíram, a expensas de sua própria evolução.

Você semeia o que colhe, e não ao contrário, porque está tudo de cabeça para baixo; o tempo não se mede, se vive, a imensidade no está, ela é; o abismo entre os mundos e os seres não existe, o inventamos para poder medir e separar as essências, sem que isso perturbe nossa insípida consciência.

A Lei da Vida

Porém é chegado o tempo de que tudo volte a encaixar-se de forma absoluta e perfeita na sua origem, conformando novamente os séculos, e reinventando as eras, para que tudo possa seguir seu curso segundo la Lei da Vida.

Vida que não é, mas está; e que clama pela união dos seres, na multiplicidade de formas que possam ser geradas, ao sonido Universal da Paixão do Um pelo Todo, de você por Mim, de nós por todos.

Sabedoria:Uma Mulher chamada Sophia

Essa é a razão de sua existência: compreender a fonte Una do Amor Universal, da Paixão Cósmica, que une os seres e as eras em um único instante eterno, de éxtasis e conhecimento consciente, de Sabedoria e Paixão.
O éxtasis da Sabedoria, esse instante de conhecimento, quando a sua alma atravessa a fronteira dos mundos, e você viaja no espaço-tempo do Amor, até a dimensão do outro, esse outro, que ainda que é um ser diferente de você na forma, é igual em sua essência.

Uma essência guardada desde a eternidade, nas memorias de todos, na Catedral da Alma, para que você a visite e se farte de companhias, de amigos e de sabores de grandes amores, amores vividos em outras eras, eras de amor correspondido.

Mas não o querem ver, não o querem ouvir, e se queixam de sua solidão, do não ter amor, do estar afastados de seus seres amados, do estar separados dos que já se foram
.
Aonde se foram? à Catedral, à sua alma, à sua memoria, para dar-lhe o espaço necessário, para que novamente você possa ser em outro ser, amar a outro ser.

O Elixir da Longa Vida

Espaço, para que você possa resgatar a outros seres que sacrificaram a própria imortalidade, mas dos quais você faz parte, ainda que se negue sistematicamente a reconhecê-lo.
E então? Continuará você com sua visão única, ou se deixará levar pela percepção múltipla, da diversidade de formas e essências que pode amar?

Essa é a solução para a Vida de todos, o amar-se uns aos outros, como Eu os tenho amado, como Eu os dividi, para que se reencontrem no Si Mesmo, no outro, e se vejam e se admirem em seus olhos, em suas necessidades, em seus enlevos de paixão terrena, no éxtasis do amor a dois, a três, a quatro, a cinco, a “n” seres, que assemelham-se a solidões ambulantes, em busca do que já possuem: a possibilidade de amar-se e ser amados.

É simplesmente isso, Amar e Amar e Amar; porém ninguém quer ser o primeiro, ninguém quer entregar-se, sem que antes o façam os demais, que já estão “de-mais” em sua Vida, porque você não lhes permite ser em você, para que você possa ser neles.

E assim vão, juntos porém separados, ate que a Grande Mãe os receba em seu seio e tudo seja esquecido novamente.
É isso o que você quere? É isso o que você deseja?

A Pedra Filosofal dos Alquimistas

Pois pense em como você poderia mudar tudo, tornando-se um Pioneiro do Amor, nesta Terra de errantes solidões, que caminham qual peregrinos em busca do Altar Sagrado, onde assenta-se a Ânfora da Vida Mesma, sem aceitar que esse Altar são vocês mesmos, e que a Ânfora que tanto procuram é a união com o outro, o único recipiente pleno da Essência da Vida, do Elixir da Longa Vida, da Vida Eterna, a Pedra Filosofal dos Alquimistas, a única capaz de transformá-lo tudo, tanto no mundo interno, transformando os defeitos em virtudes, como no mundo externo, transformando as coisas, o chumbo em ouro, a miséria em riqueza, a necessidade em abundancia, o vazio em plenitude
.
Mesmo assim, não compreendem, pois preferem acreditar que formulas milagrosas e elixires misteriosos, obrarão os milagres que todos levam consigo mesmo.
Porque somente descobre a formula mágica, que transforma o vil metal en precioso ouro, aqueles que compreenderam a grande Verdade da Vida: o Amor pelo outro.

3 comentários

Página 1 de 1
  1. Tatiana Moreira
    Tatiana Moreira às | | Responder

    Mestra, que artigo alquímico !
    Me tocou, e olha que nunca posto aqui…. postava… rs. agora as coisas vão mudar.

  2. Bea
    Bea às | | Responder

    Belas palavras de Amor!

    Bea arranja um lugar no sofazinho para Tatiana sentar 🙂
    Tb adoro Voce!
    hehehe
    Bjokas!

  3. gea
    gea às | | Responder

    È o Amor e Luz ;me sinto uma grão de areia do deserto……………..
    :(nunca mais ninguém pode dizer que a Luz é ruim, pois que ela os elevou, e os levou a transcender a sua própria condição de seres completos porém imperfeitos)

Deixe seu comentário