Uma Guerra Sagrada – Parte 1

A Deusa Atena

9 de Outubro de 2003

Esses Tristes Ídolos
De Barro

O Verdadeiro Poder

Houve uma guerra, uma Guerra Santa, a única liderada pelo Verdadeiro Poder, o Poder da Unidade, o único que pode e restaura o equilíbrio.

O Poder que emana de Mim, o Poder que destrói tudo aquilo que não serve para a Elevação de Akasha.

Longas e Obscuras Horas

O poder dos “Herdeiros da Ignorância e da Corrupção”, sofreu um golpe mortal esta noite, e agora agoniza na porta de Meus Templos Luz, aos pés de Minhas Sacerdotisas.

Foram longas e obscuras horas, nas quais o Mundo Astral esteve submetido ao confronto das contas e todas deram o resultado zero; fizeram-se acordos, tomaram-se medidas…

A Aliança de Europa será destruída num banho de sangue, os Reis marcharão com seus exércitos sobre Roma, o único e verdadeiro inimigo, o que assenta-se sobre os cadáveres dos que tem fome do Pão da Vida.

Altar Profano

E Ela, observará satisfeita desde a cima de cada altar profano, como se derrubam todas e cada uma de suas igrejas, vendo como se tornam pó, nada mais que pó.

E esses pobres e amargos ídolos de barro, voltarão ao seio da Mãe Terra, ao lugar de onde nunca deveriam ter saído.

O momento se aproxima, as decisões foram tomadas, o Apocalipsis não acontecerá, porém… nada impedirá o Glorioso Final dos Tempos, (não de seu tempo, que é o Meu) mas sim o tempo dos profanos, aqueles que perseguiram e tentaram retrasar o amanha, o hoje, o ontem.A Terra, A Grande Mãe

Aqueles que insanamente roubaram da Grande Mãe segredos, aos que chamaram Alquimia, brincando com seus dourados rios sagrados, inventando fórmulas, onde misturaram o sangue da mãe com seus filhos legítimos.

Fórmulas para obter um tempo de incestuosas vaidades, que agora, como uma chuva de ácidas lembranças, traz as memorias seculares sobre eles, arrancando suas falsas coroas, e com elas as cabeças daqueles herdeiros do poder do desespero, e o ódio que semearam, pelos séculos, dos séculos, Amén.

O Reino, o Coração do Outro

O Reino será restabelecido; e a partir deste instante, em todos os momentos, não haverá mais fugas, todos serão responsabilizados por seus irmãos, e não por si mesmos, pois não são nada desde dentro, não podem ser o que não são, solidões errantes numa terra invadida e quebrada pela tristeza e pela amargura.

Somente podem ser em seus irmãos, nesses que jazem adormecidos nos braços da Grande Deusa Mãe, embalados por suas belas plegarias, perpetuando a Vida até que esteja pronta para despertar. Mulher - Luz

-O que você me dirá agora?
-Eu não sabia… Me dirá.

Lhe respondo que você não sabe porque não quis ver, porque não quis ouvir as plegarias Daquela a qual deveria ter servido, Aquela diante da qual deveria ter-se curvado, e de joelhos venerado.

Ela habita em sua companheira, em todos e cada um dos seres aos que você chamou fraco, os únicos seres que portavam O Emblema de Maria, de Eva, da Mulher-Luz

O Caminho de volta... para a Sabedoria

Você não quis ver a beleza da sabedoria que elas carregam, não quis ouvir as historias de Dragões, castelos e cavaleiros andantes que elas desejaram contar-lhe, para que com elas pudesse aprender o caminho de volta ao seu regaço.

De volta a Meus braços e abraços que multipliquei por milhares ao seu redor, mas que você negou-se a receber, pois estava ocupado construindo as muralhas dos templos profanos.

Agora que as muralhas racham-se, fazem-se pedaços e voltam ao pó… O que você fará? O Sono Eterno dos Esquecidos

Você procura refugio e não o encontra, e não entende, pois nunca procurou entender,

Agora que o céu e a tormenta ameaçam devorar-lhe, você ajoelha-se e clama por Minha Misericórdia, essa mesma que não teve com seus irmãos adormecidos no lodo de seu desamor, de seu esquecimento, de suas negativas a ouvir seus pedidos por um raio de seu sol, que iluminara e velara seu eterno sono.

O que você fará agora, que já não pode esconder-se de Mim?

Adão e Eva no Paraiso

Houve um tempo no qual pensou que podia; esse foi seu mal, pensar, pensar separado de Mim; você não tinha que pensar, somente tinha que amar; mas…

Você inventou uma historia sobre o engano do qual sua companheira lhe fez vítima, sem saber que Eu habito nela, e acusou-me por todas as suas existências de ter-lhe dado o maior de todos os presentes que jamais você poderia ter ”pensado”, fosse possível receber:

O Amor que surge, que provem e que origina-se da Vida mesma, de Mim.


Technorati : , , , , , , , , , , , , ,

Um comentário

Página 1 de 1
  1. K.
    K. às | | Responder

    PERFEITA DESCRIÇÃO.

    O Ragnarok está chegando de fato. O Valhalla está movimentado. Nos esbarramos por aí querida. Nos templos da vida…

    Vivo no templo de Gaia, apareça por lá e me chame. Fale com o porteiro.

    Beijos grandes.

    K.

Deixe seu comentário