Todos Somos Um – 1° Parte

Todos Somos Um

18 de Fevereiro de 1997

1° Mensagem de Ratziel

Ratziel

Todos somos Um; vivemos recordando e revivendo memorias armazenadas que são comuns a todos.

Temos todos as mesmas lembranças, das experiencias que outros da espécie já viveram; como se elas estivessem guardadas em alguma parte de nosso corpo, dentro de alguma célula; como se o corpo fosse um grande arquivo, e as células os cartões que o compõem.

Todos somos negros, brancos, mulheres, homens, baixos, gordos, magros, altos, etc.

Todos fomos Um, e sabemos em algum lugar de nosso corpo como é ser igual a cada um dos outros; pois durante cada uma de nossas existências escolhemos, fazemos uma seleção de quais experiencias queremos viver, sacar tudo delas, espremê-las.

Escolhendo o Caminho

Nós escolhemos como ser, como sentir, como não sentir, que doenças teremos ou não teremos; se trata de nosso desejo para nosso Caminho, nós decidimos tudo, simplesmente vamos ao nosso “arquivo” e escolhemos.

É como ir a uma video-locadora e decidir qual filme veremos agora, sobre qual assunto, com que tipo de pessoas, em que lugar e em quais condições.

Presente, Passado e Futuro

Temos todo o passado, o presente e o futuro em nós; todos os passados, todos os presentes, e todos os futuros…simplesmente escolhemos.

O bebé chora, pela mãe, porque lembra quando perdeu uma ou alguma de suas mães quando era bebé em outra ocasião; todos já passamos por isso.

A experiencia que vivemos já a conhecíamos no Todo, pela vivencia de outro ou de outros, mas precisamos vivê-la em nós mesmos, revivê-la para aprender a ser justos com todos; aprender na própria pele, calor humano, não somente pelo outro, como também por nós mesmos.

Entender isto, compreender a experiencia pessoal nos levará a empatia com os outros; isso é voltar ao Todo, ao Um, porque todos Somos Um; isso é voltar e estar no centro do Universo, de nós mesmos; é estar no centro e no âmago de todos.

A chave está no desejo, na vontade de viver, de fazer, de passar por esta ou aquela experiencia.

Para desviar-nos das perdas, das coisas ruins é preciso ir ao nosso interior; ali está a Luz que nos mostra o próximo passo, mas isso implica num pequeno sofrimento. Olhando o Todo, a todos
Quanto mais para dentro de nós vamos, olhamos, mais perto estamos e olhamos o Todo, a todos.

Porém cada experiencia deve ser isso mesmo, somente uma experiencia; não podemos nos deter nela, pois quando nos negamos a sair de uma delas, boa ou má, geramos conflitos, paramos nossa caminhada, estancamos e morremos interiormente.

Para encerrar um ciclo que nos levou à experiencia que estamos vivendo, temos que encontrar a paz em meio aos acontecimentos gerados por ela e observar sem ansiedade os objetivos que temos diante de nós: novas experiencias, velhas memórias, e decidir seguir adiante.

As decisões envolvem e afetam o Todo, a todos

Essa é uma decisão que envolve e afeta o Todo, a todos; essa decisão de encerrar uma experiencia e começar com outra, sempre é difícil e requer um sacrifício de nós mesmos.

Este fato, então, retorna ou vai para a consciência de todos, para que outros da espécie se beneficiem dele, de como sair da roda dos acontecimentos, e por nosso desejo, por nossa vontade, começamos então, com outra vivencia.

Devemos valorizar-nos na justa medida

Uma falsa perspectiva de nós mesmos, fundamentada em nosso ego, no que pensamos que somos como indivíduos independentes do Todo, é o que nos faz atuar gerando desarmonia, o que afeta a todos.

Devemos valorizar-nos na justa medida, pois somente Somos Um no Todo, afetamos e somos afetados por todos, na mais insignificante de nossas ações e pensamentos.

Indo em direção da Unidade

Devemos ir em direção à Unidade, trabalhando em harmonia e equilíbrio, ainda que nos sintamos confusos com o fato de si podemos ou não, com o fato de si temos Poder para isso ou não.

Não devemos nos iludir com a morte e o renascimento; se nos deixamos levar pelo mundo puramente material, não caminhamos, não crescemos e então…morreremos.

É preciso trabalhar com o que temos, e nesse contexto de morte e renascimento, o que temos é a certeza de muitas “reencarnações”, pelas quais passamos ao longo de uma mesma vida, quando vivemos a morte e o renascimento nas experiencias que decidimos viver.

O Amor: uma Força Creativa

É necessário usar o Amor, como forma criativa para inter-atuar com os que falsamente transcenderam os acontecimentos do mundo físico, e pensam que estão suficientemente espiritualizados.

Devemos procurar novas oportunidades de entrar em contato com a Luz, pois espiritualmente somos um lugar sagrado, digo isto partindo do fato de que somos um “arquivo vivo de memorias”.

O desejo por outro ser humano confunde nossa mente, (leia mais na 2° parte) nossa evolução, no entanto, trabalhar com as memorias, como experiencias, nos leva de volta ao Todo, nos une novamente com a Harmonia Cósmica.

Por tudo isto devemos trabalhar espiritualmente com nossas memorias, pois nelas reside nosso Poder Real.

Ratziel


Technorati : , , , , ,

6 comentários

Página 1 de 1
  1. Bea
    Bea às | | Responder

    Tudo o que Ratziel falou sobre as memorias, a selecçao das experiencias que queremos viver, como ser, como sentir…as doenças que teremos…o nosso arquivo, nossa….sao coisas que sempre senti, apesar de tambem ja ter lido sobre, algures.. Ha noçoes que tenho do meu futuro como se me lembrasse do dia que aceitei vir como a pessoa que sou para a familia a que pertenço, para a regiao onde escolhi viver as experiencias k escolhi para evoluir como alma. Noto cd pessoa k me capta a atençao, ja se ter cruzado antes comigo, como akeles desconhecidos que acabamos por ver mais k uma x no mesmo dia e dp nunca mais os vemos, isto sao aqueles detalhezinhos do quotidiano. Sinais sinais em toda a parte.
    O que fui antes nao sei, sei k ja sou alma bem velhinha, mas conheço apenas duas de minhas imensas vidas…gostaria de um dia me conhecer totalmente.

    Precisamos viver a experiencia que marcámos para nós mesmos evoluirmos, pois nao adianta apenas ver pelos olhos dos outros…mas por nos mesmos, porque nao vivemos a vida dos outros, mas a nossa! Vivendo as nossas experiencias poderemos colocar-nos na pele do outro quando ele mesmo a vive e lidar da melhor forma com isso, daí a compreensao, a empatia aumenta, nas seguintes reencarnaçoes…e penso ter conseguido isso numa escala que me agrada.

    É mais que compreendido que qualquer acto nosso, influencia todos á volta,cada decisao que tomamos,por isso temos uma carga de responsabilidade nas nossas atitudes e acçoes. Agora, o trabalhar as nossas memorias…na pratica…isso é dificil…existirao muitas formas de o fazer…mas a mais conhecida seria a regressao como informando o que fomos e partindo daí trabalhar isso. Entao seria usando o Amor e contactando com a Luz, o metodo para trabalhar as nossas memorias, onde reside o nosso poder.

    Ahh, Podia ter pedido uma foto da minha bebe assim que acabou de nascer, que teria ficado bem melhor! hehehe

    Gostei do texto,
    Bjs

  2. dnnara
    dnnara às | | Responder

    Bea,
    Você me deu uma alegria imensa; adorei todo o seu comentário.
    As vezes amigos falam que deixaram “um post” para eles nos comentários, mas eu nunca tinha sido “presenteada” assim.
    Você é uma alma velha, e certamente por isso temos tanta afinidade, penso que já devemos ter nos cruzados nas dobras do Tempo muitas vezes.

    Sobre a foto da bebé, me mande e eu troco, é muito simples; não pedi porque não imaginei que poderia gostar de vê-la publicada.
    E obviamente prefiro esta escolha, que muito me honra: ter a sua Princesinha embelezando meu site.
    Beijos amada amiga!

  3. Bea
    Bea às | | Responder

    Nao consigo de parar de admirar este post, tem qualquer coisa nele que é maravilhoso, uma paz…felicidade …que será? 😉
    Maravilhosa a Diana! Certamente vai gostar muito quando for maior.

    Bjs!

  4. Orquidea
    Orquidea às | | Responder

    A Deusa está connosco! Falamos de sinais?Eis que a Diana das caçadas,das Florestas e Bosques se faz lembrada no meio de nós!E no choro de uma bebe pequenininha,a nossa Princesinha chega,mimando olhares,enternecendo orações…lembrando que a Deusa está presente em cada Mulher,em cada uma de nós!
    Lembrando que nossa Mestra querida é a Estrela que ilumina nossos caminhos em direcção á Casa da Mãe,ás vezes mesmo nossa mãe,que cuida,dá conselho e raspanete…Mas sobretudo que connosco cria laços de Amor.

    Saudações Dnnara ,Guerreira das Estrelas!
    Saudações Diana ,Filha de Bea ,Princesinha Real da Casa da Grande Mãe!

    Eu sou Morgana,Filha da Terra e da Lua Cheia

  5. Orkidea
    Orkidea às | | Responder

    A Deusa está connosco! Falamos de sinais?Eis que a Diana das caçadas,das Florestas e Bosques se faz lembrada no meio de nós!E no choro de uma bebe pequenininha,a nossa Princesinha chega,mimando olhares,enternecendo orações…lembrando que a Deusa está presente em cada Mulher,em cada uma de nós!
    Lembrando que nossa Mestra querida é a Estrela que ilumina nossos caminhos em direcção á Casa da Mãe,ás vezes mesmo nossa mãe,que cuida,dá conselho e raspanete…Mas sobretudo que connosco cria laços de Amor.

    Saudações Dnnara ,Guerreira das Estrelas!
    Saudações Diana ,Filha de Bea ,Princesinha Real da Casa da Grande Mãe!

    Eu sou Morgana,Filha da Terra e da Lua Cheia

  6. Bea
    Bea às | | Responder

    Obrigada pelas tuas palavras amiga. 🙂
    Beijos!

Deixe seu comentário