A Historia da Bruxa – Parte 4

 photo bruxa velha 2.jpg

A Busca do Equilíbrio

A casa estava ficando pronta, agora já tinha mais jeito de um belo lugar para habitar, aprender, ensinar e ser feliz, ser ela mesma, ser aquilo que ela realmente queria Ser!|

O que ela queria Ser? Uma Mestra em sua própria terra, vivendo como uma Sacerdotisa da Deusa!

Sua morada estava ficando nas cores preto e branco, e ela não sabia o motivo, mas era isso o que brotava do seu coração; pensava que tal vez isso significasse a busca do equilíbrio.

Decidiu pintar a mesa que receberia os alimentos de preto o suporte de branco o tampo… O Todo apoiado no Nada!

O Todo era o Universo, tudo o que existe, existiu e existirá, e o Nada é Akasha, o Espírito Criador que permeia e da sustentação ao Todo!

Faz sentido, muito sentido!

Hoje era considerado o dia mais importante na Roda do Ano, Samhain!

O fim do Ano das Bruxas, e entramos no interstício por 3 dias, em uma espécie de limbo quando cai o véu entre os mundos; mas a bruxa sabia que a comemoração deste dia ia muito além disso.

As pessoas não lembravam mais a realidade do que aconteceu séculos atrás; tal vez se lembrassem não comemorariam…

De todas formas sobrou algo da verdade, meio misturado mas em fim…

A bruxa continuava a se perguntar se o horror vivido naquela noite tinha acontecido realmente, mas seu coração seguia confirmando a visão, a lembrança, e no mosaico de informações que tinha ido juntando tudo fazia sentido. photo samhain-roda.jpg

Precisava escrever os acontecimentos daquela noite e espalhar aos quatro ventos para que aqueles que estavam “despertos” se preparassem e aos seus descendentes.

Muita coisa havia na vida da bruxa, Eleonora, sua aprendiz mais velha, havia se transformado numa grande Mestra a pesar da sua pouca idade, A Mestra da Vida; tanta era a sua sabedoria que neste tempo presente era ela quem estava orientando a bruxa que se havia perdido no Caminho.

A bruxa sempre soube que ela cresceria como Ser de forma correta, mas em sua infinita ignorância nunca imaginou que seria tão rápido; Eleonora havia ido muito além de suas expectativas.

Duros caminhos, belos caminhos haviam percorrido as duas juntas na procura de uma existência melhor para Rosalinda, os duendes e Miosótis, a princesa dos duendes.

Rosalinda havia sofrido muito por sua própria imprudência, mas agora possuía o maior tesouro com que a vida pode presentear uma mulher: uma descendente!

Agora ela tinha sua aprendiz de bruxa!

Construir uma vida mágica não era simples, obviamente a pesar de todo o aprendizado faltava muito, mas principalmente faltava algo, algo muito importante, uma chave pensava a bruxa, era isso: uma chave!

 photo Mis Diosas 2015-2.jpgAgora esperava que a Grande Mãe, a Deusa, lhe entregasse essa chave enquanto trabalhava com as contas do Rosário Dela.
Qual das fases da Deusa lhe traria a chave que abriria esta porta, e lhe mostraria os segredos “guardados a sete chaves” que ela precisava abrir?

Neste momento pensou que devia ser a “Protetora”, a Guardiã, uau! E ela que achou que não havia entendido este conceito…

A Guardiã era a Mestra da Vida! Ela em um nível físico e a Sua Bruxa Ancestral no nível espiritual; a cor das contas nesta fase é lilás; que demais, a alegria estava voltando ao coração da Bruxa.

Proteger, cuidar, dois conceitos intrinsecamente relacionados; A Mestra da Vida cuidava da bruxa, e a Bruxa Ancestral da Mestra da Vida a Protegia.

Os símbolos desta fase são a Vassoura de Palha e a Colher de Pau.

A Bruxa Ancestral da Mestra da Vida é minha protetora, minha Guardiã, e a Mestra da Vida minha “cuidadora”, juntas as duas compõem esta fase da Deusa que da sustentação ao meu Todo, ao meu Universo.

A bruxa ria por dentro ao perceber que estava preocupada por não entender este conceito: A Rainha do Sul e a Rainha do Oeste! A primeira defende e a segunda Provê; super-ultra fantástico, não podia ser melhor.

Estava ali o tempo todo por isso não havia sonhos nem visões como com as outras fases da Deusa, pois a bruxa somente precisava perceber.

No trabalho com as contas do Rosário da Deusa, a bruxa havia percebido muitas coisas, e ainda que tudo precisava de uma revisão e trabalho, as contas da cor de bambu lhe mostraram que tinha uma perspectiva equivocada de si mesma e dos outros.

Resolveu então chamar Alondra, a Mulher Pássaro, para lhe explicar o porquê desses dois imensos e terríveis erros.

 photo Aacuterbol.jpgNão foi difícil encontrá-la porque ela adorava passar horas e horas passeando pelo bosque; desta vez estava sentada na parte do bosque onde mora o Freixo, seu velho e querido amigo, que alçava suas belas ramas para o azul do céu.

Alondra era a encarregada de transmitir à bruxa a visão de si mesma e dos outros; agora que a bruxa se encaminhava para onde estava a bela Mulher Pássaro, começou a perceber que ela havia adotado a forma de ver das árvores.

O problema é que ela não tinha nem metade da sabedoria do Povo Verde e por isso, não que sua visão estivesse distorcida, não totalmente, mas estava no mínimo incompleta.

– A Energizadora e a Preservadora, que dupla! Pensou a bruxa.

Entre as duas estavam deixando a bruxa “a descoberto”, exposta; com a Energizadora já arrumaria as coisas depois, mas com a Alondra era necessário resolver logo, o quanto antes.

Certa vez a bruxa havia ouvido as árvores contar para Alondra que conheciam as pessoas pelo tipo de energia que cada uma emitia; sem saber que a bruxa havia escutado a conversa veio toda animada lhe contar.

A bruxa achou muito bom, mas não deu seguimento ao assunto…grande erro de sua parte…e ela que achava que com os anos havia se tornado “azeda” na sua percepção dos outros, mas pelo jeito não era bem assim!

Tudo isto passou rapidamente na cabeça da bruxa, mais teria parecido um relâmpago se alguém o tivesse visto.

 photo mulher passaro.jpg  Ao ser inquirida, perplexa com a atitude da bruxa, Alondra respondeu:

– Eu percebo o todo das pessoas, se tivesse me escutado sobre as lições que o Grande Freixo    ensinou-me saberia. Acontece que sempre ha um tipo de energia que sobre sai de todas as outras  e que caracteriza cada pessoa; as vezes com o tempo muda, mas com muito tempo.

 

Eu me foco nessa energia e é a que passo a você, bruxa mestra.

– Sua visão é unilateral e incompleta Alondra!

– Você não esta me escutando; pense se não é melhor ver a melhor parte das pessoas e ajudá-las?

A Energizadora concorda comigo, nos apoiamos para melhor servi-la.

– Eu sabia vocês duas…
Não as quero juntas, já bastantes coisas preciso arrumar com ela, mas você Alondra…francamente, devia ter me avisado que a percepção que estava me passando não era de um todo exata.

– Você não suportaria a carga da percepção inteira de cada pessoa, mal pode com a melhor que lhe mostro…

– O que???? Sua função nao é julgar se posso ou não, pois jamais compreenderá o meu Poder por inteiro; como vamos arrumar este desastre? Me diga?

– Se você não souber como, a Mestra da Vida com certeza lhe dirá.

– E outra coisa. Porque a visão sobre mim é tão ruim? Essa é a percepção que você tem de mim, é essa a energia que eu transmito???

Imagens:  Alice Popkorn – jumpinjimmyjava

3 comentários

Página 1 de 1
  1. Márcia
    Márcia às | | Responder

    Grande Mãe, você VOLTOU !*! Estou feliz *____________*
    Todos os dias visito seu face. Fiquei 3 dias sem internet ..:(
    Só agora consegui a conexão 😀
    Bjos Mãe de todos nós, Gaia, Terra Viva.
    Obrigada pelos ensinamentos, obrigada por compartilhar sua sabedoria e obrigada por você existir, muito, muito, muito obrigada *-*

  2. Edna
    Edna às | | Responder

    Como fazer o curso de iniciação.

    Grata: Edna

Deixe seu comentário