Dança Cósmica

 

 photo meditar.jpg

 

No Fio da Navalha

Meditar é encontrar a conexão entre as coisas, entre elas e os Seres, entre os Seres e o Todo; é conhecer a essência intrínseca de tudo, de todos e do Todo; é compreender a relação existente entre todas essas partes, é submergir-se na Unidade.

 photo meditar5.jpgÉ descobrir o porque do lugar de cada coisa e colocar cada coisa em seu lugar; é dar-lhe a tudo, a todos sua dimensão exata no Todo.

Porém, encontrar essa conexão, implica num ir cada vez mais á uma consciência maior, é estar plenamente despert@s, mesmo quando entramos no estado chamado sono.

O mais próximo que se conhece a essa consciência maior, é a meditação, na qual nos submergimos por momentos mais ou menos extensos, sem perder a percepção de nosso corpo, chegando a uma abstração temporal do entorno; no entanto, quanto maior se torna esta consciência, este conhecimento, mais próximos estamos do Todo, de todos.

 

 photo meditar6.jpgE cada vez as conexões tonam-se mais claras, chegando ao ponto em que estamos em permanente meditação, em permanente conexão, sem necessidade da abstração.

Enquanto dormimos nos abstraímos não somente de nosso entorno, como também de nosso corpo; porém quando a consciência alcança determinado grau de conexão, passamos a não dormir, pois a conexão é tão forte a todos os níveis de nosso Ser, que não dormimos, simplesmente nos abstraímos do mundo, numa meditação mais profunda, sem perder a consciência, a conexão com ele.

Isso faz que ao acordar tenhamos uma sensação estranha de cansaço mental, como se não tivéssemos dormido, -e na realidade não o fizemos- pois não conseguimos desconectar-nos totalmente como antes, da consciência expandida.

É um estado de difícil adaptabilidade, pois ao principio, nossa parte física não está habituada, o que pode provocar leves dores de cabeça e uma espécie de sonolência constante; sendo que ao mesmo tempo é como se estivéssemos padecendo de insonia; se nos dispomos a dormir, nossa consciência segue tão lúcida como se tivéssemos dormido varias horas.

Inesperadamente em meio a tudo isto, nos assalta o temor á loucura, a loucura de ver tudo com tanta clareza, e o medo de perder-nos dentro dessa claridade, que nos atrai cada vez mais, claridade da qual precisamos como o ar que respiramos, e sem a qual nada faz sentido.

 photo meditar2.jpgE assim, descobrimos que o sentido de tudo é tão simples, que basta pensar em algo e as conexões sucedem-se de forma espontânea, iluminando os fatos com a Luz dessa clareza que é a consciência maior, a consciência expandida.

Essa linha pode levar-nos á beira da loucura, se não mantemos um pé na pequena consciência, na consciência ordinária, que é o conhecimento das coisas ordinárias, da ordem do dia a dia; pois do contrario podemos sucumbir sob o peso da consciência extraordinária, a consciência fora do comum, fora da ordem estabelecida, a consciência do significado das coisas e dos fatos por trás dessas coisas e desses fatos, o significado dos Seres por trás dos Seres.

É como caminhar no fio da navalha, se nos descuidamos, podemos cair numa das duas consciências, e para quem conhece esse caminho, qualquer dessas duas consciências, separada uma da outra representa um perigo mortal; pois caindo na consciência ordinária nos perderíamos do Todo, e isso significaria involuir, -o que nos é insuportável- e fatalmente nos levaria ao desespero, á imobilidade e consequentemente á perda do desejo de viver.

Caindo na consciência extraordinária nos perderíamos num mundo paralelo, real e verdadeiro, porém separado de nosso entorno, de nós mesmos, e por isso, como entes físicos, nos tornaríamos insanos.

O equilíbrio entre uma consciência e a outra, fere nossos pés, pois esse equilíbrio encontra-se num caminho tão fino, tão sutil como o fio de uma navalha.

Neste caminhar podem ocorrer duas coisas se não conseguimos nos manter nele: ou ser cortados, divididos ao meio no sentido vertical, ou cair inteiros em uma das duas consciências; com a consequência própria de cada queda.

 photo meditar3.jpgA única forma de não perder o equilíbrio, é ser tão leves como o Ar, que flutua, que toca, mas não se apóia, que tudo o trespassa, e é trespassado por tudo.

E somente a absoluta pureza de coração, conjuntamente com um resgate total da Alma, das memorias, do Karma, pode nos tornar Ar, pode manter-nos como Abel que nascemos, para não cairmos novamente na divisão, para que não sejamos vitimados pela morte, que é o conceito da separação.

Nesta consciência consciente, a Paz interior se faz presente, e tudo se torna uma fonte inesgotável de aprendizado, de prazer em seu mais alto grau, o prazer da conexão, o prazer da respiração da fragante essência que exalam os Seres e as coisas.

 

 photo meditar4.jpgEsta consciência consciente é estar permanentemente desperto e acompanhado, é desintegrar o fantasma da solidão, é desterrá-lo de nossa existência para sempre, por sempre, Amém.

É não precisar dos outros, porque temos plena consciência de estar neles e de que eles estão em nós; não precisar no sentido de não desesperar-nos por ter o outro, porque somos nele e ele é em nós.

É poder dar-se, entregar-se totalmente sem restrições, com absoluta confiança, porque é como dar-nos, entregar-nos a nós mesmos, é saber que o outro não pode e não quer nos lastimar, nos fazer dano, ao igual que nós não nos faríamos; ao igual que não o faríamos a ele.

É Poder Ser e Estar, é a felicidade plena que bate a nossa porta, e nos convida a Viver numa comunhão de Almas, com todos, com o Todo.

É passar pelo outro e deixar que ele passe por mim, é trespassá-lo e trespassar-me ao mesmo tempo, é envolver-se infinitamente com o Ser, com a essência do outro, é uma dança Cósmica de inigualável beleza e comunhão; é a dança dos Seres que deslizam-se na Harmonia Universal, ao compasso da Sinfonia da Graça.

D’nara Rocco

Imagens: heartindustry – _marc_ – josemanuelerre – heartindustry – alicepopkorn – alicepopkorn

2 comentários

Página 1 de 1
  1. Márcia
    Márcia às | | Responder

    Olá Grande Mãe, sempre nos brindando com artigos magníficos..
    Parabéns pelo Dia das Mães e para todas as mamães de sua família ( amanhã aqui no Brasil é Dia das Mães). Que a Deusa Freya cubra todas as mulheres de sua família com Seu Manto Sagrado. Bjos *- ~

  2. Emily
    Emily às | | Responder

    Que magnífico suas palavras.. me inspiram o coração.
    Muito obrigada!

Deixe seu comentário